Imprimir Postagem
Aulas online enviam conteúdos aos estudantes em meio à pandemia Covid-19

A pandemia levou responsáveis pela educação a esta adaptação como forma de manter o aprendizado não lesando os alunos com faltas ou prazos em entregas de trabalho.

 

Da Assessoria.

 

        Alunos da rede municipal de educação de Bálsamo retornaram as aulas no dia 04 de maio em formato online. O sistema, adotado pela Diretoria Municipal de Educação foi necessário para que as crianças não percam o ano letivo, estudando e cumprindo prazos bimestrais em casa.

        Segundo a diretora Walkiria Baracioli o prefeito Du Lourenço havia falado da necessidade do retorno às aulas e buscava uma forma que poderia ser acessível a todos. “O Du falou da necessidade deste retorno, logo concordamos com ele que era realmente necessário e chegamos à conclusão que a melhor forma era as aulas on-line. Também foi pensado em uma forma de economia e por isso adotamos o sistema de grupos de aplicativo de mensagens, formados pelas professoras com mães e responsáveis por alunos. Ali são enviadas vídeos-aulas com orientação dos docentes”, disse ela.

        A pandemia levou responsáveis pela educação a esta adaptação como forma de manter o aprendizado não lesando os alunos com faltas ou prazos em entregas de trabalho. “Está tudo muito flexível, pois entendemos que os pais tem que trabalhar para levar o sustento às suas casas e por isso não estamos com a lista de presença. Os prazos para entrega de tarefas e trabalhos também estão mais extensos e ainda damos suporte àqueles que não possuem acesso a internet”, frisou Walquíria sobre as perdas de conteúdos. “Voltando tudo à normalidade, vamos nos empenhar em reforçar os estudos pessoalmente. É um período que mudanças e devemos nos adaptar e contar com o apoio de todos”, concluiu.

Crescimento do EAD.

        Cidades menores ainda se adaptam ao sistema de ensino online, mas é bom frisar que o EAD (Ensino a Distância) é o método que mais cresce no Brasil. Hoje, a licenciatura é o grau com mais alunos inscritos, seguido pelos cursos superiores, tecnólogos e bacharelados.

        Mestres e doutores em educação debatem muito que, pós-pandemia, escolas municipais, estaduais, federais e particulares vão investir muito nesta modalidade para reforçarem tarefas e aulas, acompanhando a evolução da tecnologia. Muitas, inclusive particulares, já adotam esta prática.

“Hoje em dia a maioria dos jovens estão conectados o dia todo e, levar a educação, nos aparelhos smartphones, será uma forma de driblar a atenção de muitos que estão se aprofundando cada vez mais na cultura inútil”, defendem.

Comentários

Indique para um amigo

Use este formulário para indicar esta postagem para um amigo.

 Digite o texto no campo abaixo.

Mais notícias sobre Educação