Heranças malditas de outras gestões preocupam o prefeito Du Lourenço

Da Assessoria

Corrêa Netto

O prefeito Du Lourenço vem tentando conscientizar as pessoas que realmente amam a cidade, de que existem alguns erros cometidos, ou deixados por gestões passadas, por prevaricação de fiscalização rigorosa ou simplesmente por não ter domínio sobre os mesmos. Um exemplo claro em pelo menos um deles, é a poça d’água que constantemente é formada sobre o Viaduto Dr. Luiz Steque Rodrigues, obra realizada pelo DER (Departamento de Estradas e Rodagem) e que na época a prefeitura não cumpriu com a fiscalização, recebendo a obra e herdando um problema para ser criticado para o resto da vida. “Hoje o DER não vem consertar e a prefeitura é proibida por lei de resolver o problema”, lamenta o prefeito. Outro problema sério se arrasta desde 2011, onde um loteamento na entrada da cidade, foi permitido de maneira precária e o esgoto do bairro invade domínio do DER que passou a gerar problemas aos moradores do local.

Du lamenta que na maioria das vezes as pessoas que passam pelo local, nem se dão conta de quem é a culpa e, cobra logo a prefeitura que herdou os problemas de gestões passadas e hoje está até proibida em resolvê-los. O Prefeito aproveita a oportunidade e convida a todos os munícipes para tirarem as dúvidas antes de chegar a qualquer conclusão. “Precisamos do contraditório, achamos ótimo que haja contradições, mais, criticar, mentir ou se aproveitar politicamente para fazer críticas por fazer é inaceitável”, desabafa o prefeito.

Na verdade essa preocupação do prefeito foi levantada desde julho de 2017, ano em que o atual prefeito iniciou o seu ciclo governamental. O DER (Departamento de Estradas de Rodagem), respondeu OFC-DR.9/EXT-396 informando que não consta a construção de emissário de esgoto naquele local, ou seja, para construir a rotatória não constatou-se nenhuma construção de emissário, afirmando  que o mesmo é clandestino e que após a apresentação do projeto de rede de esgoto por parte da prefeitura serão adotadas as medidas que compete  ao DER.  

Bálsamo tem sofrido muito com a questão de loteamentos clandestinos deixados por outros gestores, o proprietário de tais loteamentos construíram os mesmos com total falta de infraestrutura, falta de construção de reservatórios de água e escoamento de águas pluviais e isso acaba recaindo sobre a prefeitura.

 “Na maioria das vezes, esses loteadores se preocupam com a questão da lucratividade e acabam se esquecendo de que para um loteamento residencial ou industrial começar a ser comercializado existem algumas obrigações a ser cumpridas junto aos órgãos públicos”, ponderou.

No mês passado, a Associação de Moradores do Residencial Pôr do Sol solicitou o desentupimento, recuperação e colocação de laje sobre o PV (poço de visita), sendo que aquele domínio não pertence a municipalidade e sim ao DER. “Diante disso o que fazer?”, questiona o prefeito. “Na verdade o loteador criou o problema, venderam-se os lotes, a prefeitura prevaricou na fiscalização em 2011 e hoje a população daquela localidade sofre as consequências”, desabafa o prefeito.

“No poder público é assim mesmo, às vezes, você lida com situações que sequer sabia que existiam. Vamos tentando concertar o que vinha sendo feito errado e continuaremos conscientizando as pessoas bem intencionadas a não errarem mais. Quem sofre com isso é a população sobre um todo”, disse o prefeito. Hoje a prefeitura realiza uma fiscalização sistemática para resolver tais problemas e já enviou para os órgãos fiscalizadores superiores, apontando alguns problemas existentes na cidade.

Palavras-chave

10/04/2018

Heranças malditas de outras gestões
Heranças malditas de outras gestões
Heranças malditas de outras gestões
Heranças malditas de outras gestões
Heranças malditas de outras gestões
Heranças malditas de outras gestões

Comentários