Imprimir Postagem
MPSP e CTB alertam sobre denúncias de violência contra crianças

Os órgãos criaram uma campanha para as redes sociais, já que este está sendo o principal meio de comunicação e diversão por grande parte de brasileiros.

 

Da Assessoria.

 

Com o necessário isolamento social para enfrentamento da Pandemia de Covid-19 (coronavírus), o MPSP (Ministério Público do Estado de São Paulo) e o CTB (Conselho Tutelar de Bálsamo) alertam sobre a significativa redução dos números de denúncias de violência contra crianças e adolescentes em comparação com os mesmos meses do ano passado, segundo dados do MPSP, do TJSP e do Disque 100.

Isto indica clara subnotificação dos casos. Entidades atuantes nas periferias e especialistas no tema apontam que a violência doméstica aumentou drasticamente desde o início da quarentena, atingindo em cheio crianças e adolescentes que, agora, confinados em casa, acabam suscetíveis a toda forma de maus-tratos e violência, incluindo a sexual.

Longe das escolas, as crianças e adolescentes, vítimas de violência, podem não ter a quem pedir ajuda durante isolamento social. As escolas sempre representaram um espaço importante e seguro para que a violência infantil viesse à tona, sendo que, segundo dados do TJSP, a maior parte das denúncias deste tipo costuma vir das entidades educacionais.

Além disso, a condescendência cultural com a violência física empregada contra crianças e adolescentes pelos pais ou responsáveis a título de "educação" agrava a situação, já que as pessoas que testemunham esta violência, muitas vezes, deixam de denunciar por entender que não há nada de errado. No entanto, toda violência sistemática contra crianças e adolescentes causa traumas e as consequências psicológicas que podem ser percebidas por toda a vida.

Diante de tudo isso, os órgãos criaram uma campanha para as redes sociais, já que este está sendo o principal meio de comunicação e diversão por grande parte de brasileiros.

Segundo a Promotora de Justiça de Mirassol, Dr. Daniele Ramia Negrão Dias Brandão, a divulgação de artes e textos na imprensa, na internet e fixação de banners em locais públicos é a estratégia para sensibilizar as pessoas sobre a violência que vem ocorrendo contra crianças e adolescentes dentro de casa.

“Para que isso ocorra, contamos com o apoio dos conselheiros tutelares de Bálsamo para ampla divulgação. Sem esta parceria com as cidades, com os profissionais que conhecem a sua realidade, não avançaremos e por isso, de antemão, já agradeço a colaboração de todos do Conselho Tutelar e prefeitura”, concluiu a promotora.

Onde denunciar?

As testemunhas, em caso de violência contra criança ou adolescente, podem denunciar:

-Telefone 190 (emergência): caso a violência contra a criança ou adolescente esteja ocorrendo no momento;

-Disque 100: casos de violência contra crianças e adolescentes que já ocorreram ou que ocorrem sistematicamente;

-Conselho Tutelar de Bálsamo;

-Delegacia de Polícia de Bálsamo;

-Promotoria de Justiça da Infância e Juventude: infancia@mpsp.mp.br ou pjmirassol@mpsp.mp.br.

        Lembrando que todas as informações repassadas são mantidas no mais absoluto segredo de justiça.

Comentários

Indique para um amigo

Use este formulário para indicar esta postagem para um amigo.

 Digite o texto no campo abaixo.

Mais notícias sobre Social